Academia de Dança

862776840.jpg

Academia de Dança da Associação dos aposentados e Pensionistas Metalúrgicos de Campinas e Região (APIDAMCE)

        A academia de dança da associação foi criada pensando em todos os aspectos positivos ligados à prática da dança. Fundada há 16 anos, a instituição atende alunos de classe baixa que pagam somente a mensalidade do clube (R$ 65) e, podem participar de todas as modalidades de dança que almejarem. Atualmente, são 150 alunos, com faixa etária de 3 a 60 anos, nos cursos de: ballet clássico, dança contemporânea, ritmos, jazz, zumba, dança do ventre, dança de salão, estileto e sapateado.        
    A APIDAMCE tem o objetivo de revelar a dança nos âmbitos artístico, corporal e social. Esse é o diferencial da academia que pensa além do trabalho artístico. Os professores são todos especializados na área, pensam no aluno integralmente, não só no físico, mas também no emocional e cognitivo. Isso porque, têm a consciência de que a dança é uma área que consegue intervir nesses diferentes aspectos.
    Na academia, os alunos são estimulados a ter vínculo com o local e com a dança. Além disso, de oportunidade profissional. Atualmente, duas ex-alunas são docentes na academia.
    A instituição, ao longo dos anos, vem participando de diversos festivais, competições de dança e vem se apresentando de maneira beneficente em escolas públicas e instituições carentes. 
    Além dessas apresentações, também, todos os anos a academia realiza dois festivais ao ano: Festival de Inverno e Festival de Final de Ano. 
    Algumas colocações em eventos:


XIV New Fest Dance de Campos do Jordão
Coreografia: Bruxas (Jazz adulto)
Colocação: 4º lugar

Festival do outono 2013 (Som, Luz e dança) - Pirassunga
Coreografia: Colombinas (Estilo livre sênior)
Colocação: 1º lugar

9º Vida ao Corpo Festival de Dança - São Paulo
Coreografia: Colombinas (Estilo livre sênior)
Colocação: 1º lugar

10º Vida ao Corpo Festival de Dança - São Paulo
Coreografia: Pirofagia (Jazz infantil)
Colocação: 2º lugar 

10º Vida ao Corpo Festival de Dança - São Paulo
Coreografia: Noivas (Jazz sênior)
Colocação: 1º lugar 

10º Vida ao Corpo Festival de Dança - São Paulo
Coreografia: Faraós (|Hip Hop sênior)
Colocação: 3º lugar 

Festival de Dança Joinville 2014
Coreografia: Colombinas
Apresentação nos Palcos Abertos

Festival de Inverno

    Durante o primeiro semestre, o trabalho da Academia de Dança da Associação volta-se para a apresentação do Festival de Inverno. 
    Diferentemente de outras academias, esse festival não tem como objetivo somente mostrar o trabalho dos docentes e a técnica dos alunos, mas queremos envolver as crianças em todos os âmbitos da apresentação. Desde a escolha das  músicsa até a imuninação que será utilizada no dia. São os alunos que escolhem a música, montam a coregografia, pensam no figurino e na iluminação. Aos professores cabe a mediação, dando opiniões e sugestões sobre o trabalho e resolvendo conflitos.

        Objetivos
Socialização: As crianças necessitam aprender a trabalhar em grupo. Montando
a coreografia com a turma há aumento do vínculo afetivo entre os alunos.
Trabalho artístico: Atualmente, a instituição escolar e o mercado de trabalho necessitam de pessoas criativas que tenham autonomia (pró-ativas). As crianças aprendem a pensar além da técnica oferecida pelos professores. Elas devem sentir o que a coreografia necessita e buscar novos caminhos.
Diálogo: Os alunos aprendem qual é a melhor forma de expor a sua opinião, de maneira clara e sem consternar os outros, e a aceitar a sugestão do outro.

    As coreografias montadas são apresentadas ao público sempre próximo ao final do primeiro semestre. A motivação dos alunos é ver a sua coreografia ser apresentada e aplaudida pelo público.
    Todas as turmas da academia participam do festival, porém, as turmas do ballet clássico baby class (3 a 6 anos) e o ritmo (da 3a idade) são coreografadas pelos docentes, uma por ser muito pequena e a outra por preferência.

    Esse festival tem alcançado o seu objetivo há quatro anos, motivando todos os alunos e os desenvolvendo de maneira integral, ensinado a eles o que não teriam oportuniadde de aprender em outro local.